Quinta-feira, 6 de Dezembro de 2007
Lutar pela vida!

 

 

Hoje vou falar de um grande escritor dos nossos dias.
Aqui está um excerto da entrevista que a Visão fez ao escritor Lobo Antunes, quando este se encontrava no hospital, devido a ter-lhe sido diagnosticado um cancro.
Achei pertinente a descrição dele.
 
“Visão – Quando ouve a palavra cancro, é a morte que vê à sua frente?
Lobo A. – Por mais que racionalmente pensemos que o cancro se cura, associamo-lo à morte. Pedi sempre para não me mentirem e, por isso, quando muito francamente me dizem que tenho um cancro, o que vejo à minha frente, é a morte. Não é ver a morte à minha frente, é vê-la dentro de mim. Já está cá, é uma parte de nós. Não requer coragem, apenas dignidade e elegância. Perguntava muitas vezes: tenho-me portado de uma maneira digna?
 
V – A quem é que perguntava?
Lobo A. ­– Ao médico e a uma ou duas pessoas que faziam o favor de se interessar por mim. Não há nada de mais horrível do que a cobardia. Compreendi a frase de Hemingway, quando quiseram saber o que é que ele achava da morte e a resposta foi: “Outra puta” Porque a morte é sempre uma puta e, a uma puta, não se pode dar confiança. Uma amiga, que é minha médica, disse-me: “Tens que aprender a viver com isto.” Não, não tenho. Não tenho que viver com um filho da puta. Eu não vivo com um cabrão, quero destruí-lo, não quero viver com ele.
 
V – Tem que ter pulso firme?
Lobo A. – Tenho que lutar contra aquilo. O cancro habita-me, está dentro de mim. E queria portar-me com a mesma dignidade com que acho que me portei na guerra. Não sei se ele se importa com a minha atitude ou não, mas em princípio, é um pesadelo que estará terminado. De qualquer maneira, sei que, mais tarde ou mais cedo, a puta viverá. Só espero ter tempo para acabar o meu trabalho.
 
V – Na guerra, já tinha visto a morte de perto.
Lobo A. – Na guerra, era mais fácil porque era uma qualquer coisa de exterior, podia sempre agarrar numa arma. Em África tínhamos inimigos (digamos assim) e estávamos armados com morteiros, espingardas e metralhadoras.
Eu agora tinha a morte dentro de mim. E é horrível estar grávido da morte. Portanto, o tratamento é como fazer um aborto desse monstro que nos quer destruir. Quando ia às sessões de radioterapia, encontrava pessoas de todas as idades. Lembro-me sobretudo de uma rapariga de 20 anos que usava uma cabeleira postiça. Percebia-se logo que a cabeleira era postiça, mas ela usava-a com tanta dignidade que era como se fosse uma coroa. Uma coroa de rainha. E era, de facto, uma rainha que ali estava.
Este pequeno excerto é dedicado a todas as pessoas que lutam contra este mal.
Para elas um grande beijinho e para eles um abraço

tags: ,

publicado por FELINO às 01:08
link do post | comentar | favorito
|

12 comentários:
De justme_nina a 6 de Dezembro de 2007 às 14:15
Sim, acho que para todos é impossível não associar essas duas palavras! É triste!



De FELINO a 6 de Dezembro de 2007 às 14:27
Sim tens razão é um flagelo que muitos sofrem e conheço algumas pessoas que à minima coisa conquistada para elas representa mais uma etapa muito dura que se venceu enquanto para outros é indiferente. Pode tocar à nossa porta devemos por vezes pensar nos outros e não só no nosso umbigo.

beijinhos


De guiga a 6 de Dezembro de 2007 às 16:14
Em primeiro lugar devo dizer que já não vinha ao teu cantinho há algum tempo pois pensei que estivesses de férias. lol

Em segundo lugar, parabéns por este post. Adorei.
Já perdi duas pessoas à conta dessa PUTA. E dói muito!

Beijos *.*


De FELINO a 6 de Dezembro de 2007 às 16:28
Bem é melhor nem falar nisso. Obrigado e ainda bem que gostas-te porque há pessoas que lhes é indiferente até ao dia que lhes bata à porta.


De estrelaquebrilha a 6 de Dezembro de 2007 às 16:43
Adorei este post,porque faz alguma pessoas pensarem nisso, eu n me esqueço pois tenho uma pessoa amiga neste situação e não é fácil...
bj


De FELINO a 7 de Dezembro de 2007 às 16:25
Obrigado pelo elogio.
E lamento essa pessoa . nunca desista LUTE.

beijinhos


De CC a 7 de Dezembro de 2007 às 14:15
O meu maior medo é que doença do meu Pai derive para Leucemia..... dói muito...
Bj


De FELINO a 7 de Dezembro de 2007 às 16:29
Olá
CALMA
Pensamento positivo .Ok
Não te gosto ver como tens andado últimamente.
Lembra-te sempre que o Sol brilha mesmo por cima dessa nuvem.

beijinhos e se precisares cá estarei


De dolce_vita a 9 de Dezembro de 2007 às 19:06
"...o cancro habita-me e está dentro de mim..."
"...e é horrivel estar grávido da morte..."
As respostas do homem com a morte dentro,são a dignidade elevada ao expoênte máximo.
Eu também envio toda a força para os que vivem com "essa puta",como diz Hemingway.
Um enorme abraço a todos.


De Isa a 10 de Dezembro de 2007 às 10:27
obrigada, felino, pelos beijinhos, sentimos todos o mesmo, embora o Lobo antunes, tenha o dom da palavra, por saber escrever tão bem.beijos


De FELINO a 10 de Dezembro de 2007 às 10:47
Eu sei, apesar de ele ser um pouco surrealista escreve muito bem.
Beijinhos


De Isa a 10 de Dezembro de 2007 às 11:20
pois é isso, mesmo.obrigada


Comentar post

mais sobre mim
online
Janeiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

13
15
17
19

20
22
24
26

27
28
29
30
31


links
pesquisar
 
posts recentes

Partida

Um armazém nas maminhas!

Fato de gala para Jogar!

Estou farto!

O GATO

arquivos
tags

todas as tags

eXTReMe Tracker
blogs SAPO
subscrever feeds